Recordações trentinas


 Acabei de ver uma fotografia que fez com que me viessem as lágrimas aos olhos...a torre do Duomo de Trento terminada! Pois é, durante os 5 meses que lá vivi ela esteve em obras, tapada com aqueles panos horríveis para esconder os andaimes. Fui ao facebook e a minha amiga espanhola Olatz tinha acabado de colocar um álbum com fotografias da nostra bella città, que sorte...pôde voltar lá! 
 Também eu espero um dia ritornare e ver aquela torre ao vivo, recordar o tempo que vivi naquela piccola cidade italiana, a capital da região Trentino-Alto Ádige, famosa pelo Concílio de Trento (1545-1563) que originou a Contra-Reforma e também uma nova etapa na minha vida. Afinal de contas foi a primeira vez que vivi fora da alçada dos meus pais, tudo bem é verdade que eles é que me pagaram o Erasmus (com uma ajudinha do Estado), mas não os tinha lá para tomarem conta de mim, tive de aprender a virar-me sozinha, tive de crescer e arcar com as responsabilidades de um adulto.
 Aquele semestre em Itália mudou-me completamente, fui para lá a pensar que era independente e que me iria safar muito bem com este meu espírito voador, mas os primeiros dias mandaram-me abaixo. O entusiasmo desapareceu no segundo em que me apercebi que era dificílimo arranjar alojamento, as saudades da família apareceram logo ao fim de dois dias e aquela vontade de querer estar no conforto e segurança de minha casa não desaparecia por nada. Mesmo depois de termos encontrado o nosso ninho fomos tendo uns quantos precalços pelo caminho e, mesmo sem serem azares, tivemos de lidar com coisas que nunca teríamos de lidar vivendo com os nossos pais.
 Não vou continuar a argumentar a favor do Erasmus, porque quem acompanhou as minhas aventuras, sabe que aconselho todos a irem um semestre lá para fora, mesmo que vos atrase o curso como me atrasou a mim. Não posso deixar de fazer a observação que isso não se sucedeu por minha causa, eu passei às 3 cadeiras que me tinha inscrito, só não fiz mais porque a minha faculdade não é nada generosa a dar equivalências. Descobri que nem todas as faculdades são assim, porque fiz dois amigos de Coimbra que iam lá ficar um ano (a minha só permite um semestre) e terminar o curso lá, podendo fazer todas as cadeiras que quisessem, já eu não tive essa sorte e por isso é que este semestre que passou estive a fazer as cadeiras de 3º ano que teria feito se tivesse ficado em Portugal. 
 No entanto volto a repetir que não me arrependo nada desta minha escolha, para já porque nunca chumbei nem atrasei os meus estudos, depois tenho só 21 anos e se acabasse o curso já em Julho deste ano seria demasiado nova, e a razão principal: não sei o que quero fazer quando terminar a licenciatura!
 Agora, ao recordar todas as minhas aventuras (e desventuras) daqueles 5 meses, só me apetecia era poder ter outra oportunidade dessas. Quem sabe se não voltará a aparecer, aliás nada disto nos cai no colo, se queremos algo na vida temos de fazer de tudo para o termos, por isso quando terminar os estudos em Direito é precisamente com isso que me vou preocupar: em procurar novas experiências e de preferência lá fora. E quem sabe oferecer-vos a leitura de algo novo...e inesperado!

Comentários

MNZ1 disse…
adoro ... este meu espirito voador :)
Gostava de ter sido "Homo Erasmus"!

Continua a aproveitar todas as oportunidades;)

Mensagens populares